Marcar consulta
Marcar consulta
Marcar consulta

Meningioma

Pacientes diagnosticados com o tumor meningioma têm, hoje, diversos métodos eficientes para o tratamento. A escolha do método correto depende de cada situação em particular. Para poder prescrever o melhor e mais seguro método de tratamento para você, nossos especialistas devem diagnosticar o estágio e alcance da doença, nível de agressividade do tumor, exames prévios e tratamentos já realizados.

O SRC oferece tratamento para meningiomas com o sistema robótico de última geração CyberKnifeⓇ M6. O tratamento de meningioma com radiocirurgia não involve intervenção cirúrgica, anestesia ou perda de sangue.

Tratamento de tumores no crânio com a CyberKnife® M6, passo a passo.

Como podemos ajudar caso você seja diagnosticado com meningioma?

  • Após a inauguração do SRC em 2015, nossa clínica pode oferecer o mais avançado tratamento não-invasivo do mundo, utilizando o sistema robótico de aplicação de radição Cyberknife®M6;
  • A radiocirurgia com a Cyberknife®M6 assegura 98% de controle de crescimento do tumor, bem como efeitos colaterais mínimos;
  • Nossa equipe consiste de profissionais altamente qualificados e experientes (neurologista, neurocirurgião, neuroradiologista, oncologista radioterapeuta), especializados no diagnóstico e tratamento de meningiomas;
  • Cada caso é analisado individualmente por uma equipe de especialistas – dentro do quadro de médicos especializados;
  • Os métodos mais avançados de diagnóstico, tais como ressonância magnética com equipamento de 3 Tesla, tomografia computadorizada de 64 camadas, PET scan e outros estão à disposição de nossos pacientes;
  • Nossos especialistas também conhecem os métodos convencionais de tratamento de meningiomas e têm mais de vinte anos de experiência em sua utilização;
  • Nossos especialistas trabalham de acordo com as normas ditadas por associações profissionais com base nas mais recentes técnicas e experiência das principais clínicas européias, com protocolos especialmente elaborados para o tratamento de meningiomas;
  • Os resultados do tratamento de pacientes nos últimos dois anos correspondem totalmente aos resultados de outros centros CyberKnife na Europa, tanto em termos de eficiência quanto de segurança;
  • A principal tarefa de nossos especialistas é lhe oferecer o diagnóstico e tratamento mais apropriados a você.

Pergunte-nos e nossos especialistas o ajudarão a entender sua situação e encontrar a melhor solução para o seu caso.

Tratamento de meningioma com a CyberKnife – 2 anos antes e depois do tratamento

Feedback do paciente e resultados do tratamento

Métodos de tratamento de meningiomas

Diversos métodos ou suas combinações são utilizados para o tratamento de meningiomas:

  • Neurocirurgia;
  • Radioterapia ou radiocirurgia;
  • Tratamento médico para redução de edemas;
  • Acompanhamento regular.
Táticas para o tratamento de meningiomas
  • O tratamento de meningiomas de Grau I podem incluir o seguinte:
  • Acompanhamento ativo – tumores de tamanho pequeno sem sintomas neurológicos;
  • Cirurgia convencional para remoção do tumor. Caso restem tecidos do tumor após a cirurgia, radioterapia ou radiocirurgia pós-operatórias são indicadas;
  • Radiocirurgia robótica no caso de tumores com menos de 3 cm de diâmetro;
  • Radioterapia ou radiocirurgia no caso de tumores profundos e inoperáveis.
  • Meningiomas de Grau II ou Grau III são tratados com cirurgia e radioterapia.
Acompanhamento de meningiomas

Nem todo meningioma detectado necessita tratamento imediato.

Caso o meningioma tenha sido detectado em uma ressonância magnética ou tomografia computadorizada por acaso, for pequeno e não apresenta sintomas clínicos, é recomendado que se continue seu acompanhamento e se repita a ressonância a cada 6 meses.

Tratamento de meningioma com a CyberKnife

A radiocirurgia com a CyberKnife como opção pode ser decidida no caso de pequenos tumores difíceis de se acessar e também quando uma neurocirurgia tenha sido rejeitada devido às condições do paciente. A radiocirurgia é comumente usada para irradiar tumores recidivos, bem como em combinação com microcirurgia onde o tumor não pode ser removido completamente devido à sua localização. Na maioria dos casos a radiocirurgia assegura um alto grau de controle do tumor. Frequantemente, 2 anos após a radiocirurgia, podemos detectar uma redução de 20 a 25% da massa do tumor, em comparação a seu estado antes da radiocirurgia. Independentemente da eficiência do método e precisão do tratamento com radiação, tanto os resultados quanto os efeitos colaterais podem variar. A principal desvantagem do método – diminuição gradual do tamanho do tumor, com a consequente diminuição gradual dos sintomas,

Para se conseguir o máximo efeito e reduzir efeitos colaterais causados pelo tumor e pela radiocirurgia, é important usar os mais avançados processos de diagnóstico para o planejamento da radiocirurgia: ressonância magnética com equipamento de 3 Tesla e tomografia computadorizada com no mínimo 64 fatias. Ist odecorre do fato da alta precisão da radiocirurgia, na casa do milímetro.

Neurocirurgia de meningioma

Método opcional – neurocirurgia ou microcirurgia é um método comumente escolhido devido ao tamanho do tumor:

  • Pressiona o cerebelo;
  • Efeito de massa proeminente;
  • Aumento da pressão intracraniana;

E/ou queixas sobre o agravamento insuportável das condições do paciente.

O objetivo é a remoção parcial ou completa do tumor no caso em que este é superficial ou acessível e identificável sem defeitos neurológicos adicionais.

Comparadas às neurocirurgias realizadas no começo do século XX, a mortalidade dos pacientes neste tipo de tratamento caiu de 80% para 2%. Entretanto, deve-se ter em conta que este tipo de cirurgia pode levar a graves complicações pós-operatórias:

  • Danos aos tecidos vizinhos saudáveis, sangramento e risco de infecções e tromboembolia;
  • Acumulação de fluido cerebroespinhal na área operada, meningite, problemas com o refluxo do fluido cerebroespinhal;
  • Em aproximadamente 20% dos casos os pacientes desenvolvem apoplexia, caso não sofram anteriormente do problema;

Muitas vezes problemas neurológicos aparecem após a cirurgia convencional, tais como fraqueza muscular, dificuldades com a fala ou coordenação motora perturbada. Estes sintomas dependem da localização do tumor, podendo desaparecer com o tempo,

Tratamento médico do meningioma

Caso um edema for detectado em tecidos ao redor do meningioma, é prática comum a utilização de medicamentos para a redução deste problema antes da cirurgia ou radiocirurgia. Normalmente estes medicamentos são usados por longos períodos anteriores e posteriores ao tratamento.

Vantagens do tratamento com a CyberKnife

Alta eficiência e segurança

A radiocirurgia robótica com o sistema CyberKnife M6 é um método seguro e eficiente, baseado em testes clínicos e conhecido há mais de 15 anos.

Resultados comprovados

Resultados terapêuticos esperados são baseados em pesquisas clínicas quantitativas e qualitativas; a eficiência é comprovada pelo monitoramento de pacientes por mais de 15 anos.

Em 97% dos casos onde o meningioma é tratado com a CyberKnife, espera-se que o tumor pare de crescer ou reduza seu tamanho em torno de 20 a 25% ao longo dos dois primeiros anos após o tratamento;

Com o tratamento no sistma CyberKnife para meningiomas de tamanhos pequenos ou médios, nenhum período de pós-tratamento ou reabilitação são necessários, os efeitos colaterais não são maiores do que aqueles provocados pelo tumor e podem ser controlados com medicação apropriada.

Tratamento indolor

O crescimento do meningioma é interrompido sem interferências de remédios, sem dor, sem necessidade de reabilitação, com precisão de menos de um milímetro, com total prevenção de erros humanos e riscos mínimos de efeitos colaterais.

Proteção de tecidos saudáveis

Uma dose máxima de radiação é aplicada diretamente nno tumor, de diversos ângulos diferentes, com precisão sub-milimétrica, afetando apenas o tecido doente e minimizando a exposição dos tecidos do entorno.

Conforto durante o procedimento

O paciente pode deitar-se e respirar normalmente durante a radiocirurgia robótica. O sistema detecta mesmo os movimentos mais sutis do paciente e ajusta-se automaticamente. Durante o procedimento e para uma maior segurança uma máscara plástica bem leve é utilizada para reduzir os movimentos da cabeça e normalmente não causa nenhuma sensação desagradável ou claustrofobia. Ao contráro do que ocorre com outros sistemas de radiocirurgia, como o GammaKnife, por exemplo, o paciente não necessita usar um sistema pesado e desagradável de fixação.

Pode ser combinado com métodos convencionais de terapia

Se um meningioma foi detectado em um lugar onde ele já produz efeitos colaterais sérios, a radiocirurgia pode ser combinada com a microcirurgia, reduzindo os efeitos em outras partes do cérebro.

Se há o risco de recorrência após uma cirurgia prévia ou não foi possível a total remoção do tumor, os tecidos remanescentes podem ser destruídos com a CyberKnife.

Melhrora na qualidade de vida

A maioria dos pacientes, dois anos após a radiocirurgia com CyberKnife, não apresentam mais os sintomas da doença e mostram-se muito satisfeitos com a opção.

A radiocirurgia com CyberKnife faz com que os pacientes sintam-se melhor, já que destrói o tumor de uma maneira eficiente e confortável, não influindo na qualidade de vida do paciente. āti.

Volta para casa no mesmo dia

A radiocirurgia com CyberKnife é um tratamento ambulatorial, sem internação. Após o procedimento, o paciente pode retornar para casa ou para seu hotel, sem necessidade de internação.

Custos previsíveis

A imprevisibilidade de custos relacionados às doenças pode deixar seu orçamento vulnerável:

  • Caso você necessite de um diagnóstico, pode ser que tenha que esperar muito por uma ressonância ou pelo diagnóstico dos médicos;
  • Uma neurocirurgia convencional pode custar muito no pós-operatório ou reabilitação, custos estes normalmente não cobertos por planos de saúde;
  • Honorários médicos nebulosos;

Estas são questões que elevam o nível de estresse do paciente, levando à ansiedade em um período da vida em que a doença é muito presente.

Nós sempre tentamos ser muito precisos e transparentes quando orçamos nossos serviços de diagnósticos e terapia.

Entretanto, caso você tenha alguma dúvida sobre nossos custos, por favor pergunte aos nossos consultores de atendimento aos clientes.

Veja aqui a nossa lista de preços.

Tratamento de tumores na cabeça com a CyberKnife

Primeiro passo: consulta e avaliação das opções de tratamento

Para avaliarmos a eficiência do tratamento de tumores na cabeça com a CyberKnifeⓇ M6, podemos oferecer uma consulta gratuita online, uma vez que estejamos de posse dos exames e outros dados do paciente.

Para solicitar uma consulta gratuita, por favor envie-nos os seus dados pessoais e imagens pelo formulário de contato e upload encontrado aqui.
Os dados necessários para nossa avaliação são:
• Imagens de ressonância magnética em formato DICOM enviados para nós por upload em nosso site (veja link acima), preferencialmente realizada há menos de 4 semanas.

Consultas presenciais no SRC
A possíveis táticas de terapia, efeitos colaterais e a terapia em si são explicadas nas consultas, sejam presenciais ou online. As imagens enviadas são explicadas em detalhe.

Junta de avaliação do tumor
As leis da Letônia estipulam que as táticas de tratamento de cada paciente sejam examinadas por uma junta médica multidisciplinar que consiste em um neurocirurgião, oncologista radioterapeuta e um radiologista. O médico encarregado do caso apresenta suas conclusões e exames à junta. Caso necessário, o pciente pode ser convidado à audiência com a junta para a discussão dos diferentes aspectos do tratamento com os membros da junta.

Passo 2: topometria
Passo 3: definição do plano de tratamento específico do paciente
Passo 4: procedimento de radiocirurgia com a CyberKnife
Passo 5: pós-tratamento

Tumor no cérebro – meningioma

Tumor no cérebro

Há mais de 40 tipos de tumores que podem aparecer no cérebro ou na medula. Eles são divididos em dois grupos, dependendo da agressividade do tumor:

  • tumores benignos (tumores anaplásticos de Graus I ou II)
  • Tumores malignos (tumores anaplásticos de Graus III ou IV)

Tumores benignos crescem lentamente, ao longo de muitos anos e raramente espalham-se para for a dos limites dos tecidos onde se originaram (por exemplo, meningiomas, adenomas de pituitária, schwannomas). Ao contrário de tumores benignos, tumores malignos crescem rapidamente e normalmente infiltram-se em estruturas de outros tecidos e podem espalhar-se para outras áreas do cérebro ou coluna vertebral. Os mais comuns são os astrocitomas anaplásticos, oligodendrogliomas, glioblastomas e gliomas, com estruturas combinadas. Tumores originários do cérebro são chamados tumores primários. Estes tumores podem espalhar-se para outras áreas do cérebro e da coluna vertebral, mas raramente invadem outras partes do corpo.

Estes são os tumores de ocorrência mais frequente, em ordem descendente:

  • Astrocitomas anaplásticos e gioblastomas (38% de todos os tumores cerebrais)
  • Meningiomas (27% de todos os tumores primários)
  • Tumores da pituitária
  • Schwannomas
  • Linfomas do cérebro
  • Oligodendrogliomas
  • Ependimomas
  • Astrocitomas anaplásticos de baixo nível
  • Meduloblastomas

Um tumor originário de outra parte do corpo e que se espalha para o cérebro é chamado de tumor metastático cerebral (secundário). Tumores metastáticos são mais comuns que os primários. Em até 50% dos casos, os tumores metastáticos do cérebro são causados por câncer de pulmão. Também os melanomas, câncer de seio, de colon, renal, nasofaringeal e outros podem causar esta metástase.

O que é um tumor no cérebro – meningioma?

Um meningioma é um tumor de crescimento lento, principalmente benigno, que se forma nas membranas que cobrem o cérebro e a medula. Meningiomas são bastante comuns e respondem por um quarto de todos os tumores primários do cérebro. Normalmente eles crescem entre o cérebro e os ossos do crânio, bem como entre os dois hemisférios cerebrais. São benignos em 90 a 95% dos casos, em 5 a 7% dos casos são atípicos e em 1 a 2% dos casos são malignos. Meningiomas da medula não ocorrem em mais do que 10 a 12% dos caos. Tornam-se mais comuns com o avanço da idade, alcançando o máximo entre 60 e 70 anos de idade. Entretando, podem aparecer também em pacientes mais novos.

Fatos sobre os meningiomas

Etiologia — fatores de risco frequentemente associados a meningiomas:

  • Neurofibromatose Tipo 2;
  • Terapia de reposição hormonal realizada durante um longo período em mulheres na menopausa (os tumores são duas vezes mais comuns em mulheres do que em homens);
  • Radioterapia na infância.

Epidemiologia do meningioma:

  • Diagnosticado entre 45 e 80+ anos, mais frequentemente aos 53 anos;
  • Ddetectado em 3 a 4 homens e em 9 a 13 mulheres, em média, em 100 mil habitantes;
  • 20 a 30% de todos os tumores detectados na cabeça;
  • Tumor mais comum do sistema nervoso central;
  • 1/3 dos pacientes têm sintomas neurológicos antes da cirurgia (dores de cabeça, tonturas, problemas de visão, cognitivos, coordenação motora e de fala).

Classificação dos meningiomas (classificação WHO):

  • Grau I - meningioma benigno (90-95%);
  • GrauII - meningioma atípico (5-7%);
  • Grau III - meningioma anaplástico / maligno (1-2%);

Prognóstico:

  • Na grande maioria das vezes, muito bom, mas pode variar dependendo da histologia e da terapia aplicada;
  • Taxa de sobrevivência de 5 anos para um meningioma Grau I é maior que 90%, 50 a 60% com Grau III;
  • Controle local do tumor > 95% para meningiomas benignos (estabilização da doença).

Após neurocirurgia do meningioma:

  • 2% de mortalidade pós-operatória, 9,5% de mortalidade após 5 anos;
  • Recorrência após 10 anos de cirurgia radical: 9% - e após cirurgia não-radical: 40%;
  • Possível problema neurológico, risco aumentado de infecções;
Sintomas dos meningiomas
  • Meningiomas normalmente crecem “para dentro”, aumentando a pressão ou compressão no cérebro ou medual, bem como causando deformações. A compressão pode ser a causa de dores de cabeça, distúrbios de visão, equilíbrio, tontura, colapsos e até mesmo epilepsia (dependendo da área do cérebro onde está localizado);
  • Os sintomas variam dependendo de seu tamanho e localização, e também distúrbios olfativos, visuais e de equilíbrio, por exemplo, podem ser associados à pressão causada pelos meningiomas em nervos vizinhos. Caso seja localizado na medula, ele pode comprimí-la causando fraqueza nos membros e alterações na sensibilidade;
  • Caso um meningioma comprima o cerebelo, dores de cabeça devidas ao efeito de massa e aumento da pressão intracraniana pode tornar-se insuportáveis e levar o vômito e disorientação;
  • Eles podem ocaisonar alterações na fala ou perrsonalidade, humor, capacidade de concentração ou alterações comportamentais.
Diagnóstico

Meningiomas são mais frequentemente detectados quando pacientes reclamam de dores de cabeça ou ditúrbios de visão e também acidenalmente – por exemplo, quando uma ressonância magnética é realizada para algum outro diagnóstico. Caso a ressonância seja realizada corretamente, é possível detectar tumores de mais de 5 mm de diâmetro. Meningiomas são facilmente detectados em ressonâncias magnéticas com agente de contraste. Entretanto, caso não apareça claramente, outros métodos de detecção são recomendados: tomografia computadorizada e PET scan.

2020 - © Consilium Veritas